Blog RH | 16 Maio 2019

Como descobrir (e motivar) o Capital humano descontente

Capital-humano-descontente–compressor (1)

Por mais que os gestores e os responsáveis pelo departamento desejem o contrário, a Gestão do Talento tem como uma das suas principais ameaças, a proliferação de funcionários ou elementos do capital humano que se encontram descontentes com a sua situação na organização.  Um ou vários casos de (fricção) deste tipo podem causar problemas a longo prazo porque, como uma torneira a pingar que passa despercebida, mas acaba por ter impacto na fatura final.

Utiliza Sofware de Gestão empresarial para monitorizar os recursos humanos

O departamento de recursos humanos ocupa um lugar de importância capital na sua estratégia. Deve ser responsável não apenas pela aquisição de novos talentos. Também deverá localizar o seu próprio talento, ajudar no seu desenvolvimento, promover a realização dos seus objetivos e garantir que o seu trabalho e a sua estratégia Global estejam perfeitamente alinhados.

A melhor maneira de monitorizar o número de variáveis que precisem de ser monitorizadas num nó estratégico, como o talento – como mencionamos apenas algumas facetas – é utilizar um software de gestão de negócios especifico. Com este tipo de ferramentas inteligentes, poderá de imediato e em tempo real ter a situação de cada elemento separadamente, receber relatórios atualizados de diferentes aspetos e, o que nos interessa neste artigo, detetar tendências comportamentais ou indicadores que falem de desmotivação, descontentamento ou má utilização de certas skills individuais.

Irregularidades constantes

Talvez o sinal mais óbvio de descontentamento – um dos mais lógicos e o primeiro a manifestar-se – seja a falta de vontade de ir para o trabalho. Uma pessoa que não se encontra feliz com a sua situação de trabalho, tem problemas ou não encontra motivação para realizar as suas tarefas faz o possível para atrasar ou evitar o momento que lhe causa desconforto.

Se tiver alguma ferramenta para controlar o acesso ao trabalho, poderá identificar rapidamente anomalias na entrada ou na saída do trabalho, ausências súbitas e contínuas, um aumento nos pedidos de licença por motivos médicos, erros e omissões com dias de folga etc… Não espere que a situação se torne crónica. Se identificar este tipo de tendências, fale.

Diminuição nos dados de desempenho e uma baixa pontuação na avaliação

Outra vantagem da digitalização e monitorização na Gestão do Talento é passarmos a ter dados confiáveis relacionados com o desempenho individual. É muito fácil estabelecer padrões de análise, de acordo com tarefas e objetivos designados, e realizar avaliações em tempo real. Se os relatórios falam de uma diminuição injustificada ou de uma baixa pontuação nessas avaliações, algo de estanho está a acontecer. Certifique-se de que é um episódio de desmotivação e tente encontrar uma saída de uma forma honesta e sem drama. Por vezes também poderá ser um caso de desperdício de talento individual, por estar a utilizar alguém num departamento, tarefa ou processo que não esteja alinhado com a sua competência, ou aspirações para o seu desenvolvimento profissional.

Baixa participação na formação interna da organização

Se alguém deixa de frequentar os cursos de formação pela empresa ou, pior, não procura uma maneira de aproveitá-los e participa com uma atitude agressiva, passiva ou com desinteresse, temos outro sintoma claro de descontentamento. O software de gestão de negócios para monitorar talentos é capaz de projetar “itinerários de formação” adaptados às necessidades de casos particulares.
Tente polir esse itinerário para que possa ter a certeza de que está a proporcionar ao seu capital humano as portas para o desenvolvimento pessoal e profissional de que precisam e não aqueles que “acredita” que eles precisam. Se não conseguir implementá-lo na sua organização, valorize a possibilidade de investir na formação externa e independente. Se, no entanto, a falta de motivação para a formação continuar, a raiz do problema poderá ser mais profunda. Mais uma vez, lide com o assunto com as partes envolvidas, seja sincero e com máxima empatia possível.