Blog RH | 8 Junho 2020

5 formas de avaliar a produtividade de equipas em remoto

5 formas de avaliar a produtividade de equipas em remoto

Antes das empresas sofrerem o impacto do COVID-19, a noção de produtividade e trabalho estava intimamente ligada ao modo presencial. No entanto, a nova realidade, força os departamentos de recursos humanos, por um lado, a usar ferramentas adaptadas à nova realidade digital e às necessidades do teletrabalho. Por outro lado, existe a necessidade de realizar avaliações contínuas de desempenho num curto prazo de tempo, para avaliar de forma remota a produtividade das equipas, através de novos critérios.

1. Avaliação de desempenho vinculada a objetivos definidos e realistas

Neste sentido, uma avaliação contínua de desempenho adaptada ao novo cenário difere das práticas anteriores, quando as análises eram realizadas apenas uma vez por ano. Ao considerar uma avaliação da produtividade por método remoto, de forma mais frequente, deve-se enfatizar especialmente os objetivos que devem ser claros e alcançáveis.

Isso permitirá, por um lado, análises que refletem a situação real. Por outro lado, diminui o grau de pressão sobre a equipa, pois todos sabem o que fazer e acima de tudo, são realistas e pretendem atingir metas. A motivação permanecerá alta e a mudança de realidade será transferida para essa avaliação de desempenho de uma forma mais atualizada, em períodos mais curtos.

2. Equipas em modo remoto monitorizadas e com feedback permanente

O uso de ferramentas de software, como a Talentia People Development, tanto para gerir talentos, quanto para implementar uma avaliação correta do desempenho, facilita o estabelecimento de uma cultura de feedback constante no organograma. O facto de toda a equipa, ter as mesmas informações em tempo real permite que o feedback transmitido e recebido seja muito mais ajustado à situação.

Isso permite, por um lado, tomar as medidas adequadas e, se necessário, fazer ajustes. Por outro lado, possibilita à equipa adaptar-se a um fluxo de trabalho no qual transmitir e receber feedback, contribui para que a melhoria dos processos seja um processo natural. Mais um elemento orgânico no seu desenvolvimento profissional.

3. Produtividade de equipas de forma remota graças à definição de tarefas

As soluções tecnológicas implementadas em RH e teletrabalho permitem estabelecer de forma muito clara as tarefas e responsabilidades de todos os membros da equipa. Nesse sentido, implica saber que trabalho corresponde a quem. Da mesma forma, define o objetivo dessa tarefa e, portanto, mede remotamente o cumprimento dessa função.

Isso fornece aos responsáveis e envolvidos, as informações importantes sobre os contributos, bem como, os níveis de produtividade alcançados e a serem alcançados. Ter as coisas claras no dia-a-dia e a médio prazo garante melhores índices de produtividade.

4. Melhor comunicação das equipas em modo remoto

Paradoxalmente, a deslocação física e a intervenção das tecnologias melhoraram em muitos casos os níveis de comunicação das equipas. As falhas de comunicação entre os departamentos com experiência nos locais de trabalho podem ter grandes nuances, se não desaparecerem completamente. Dessa forma, obtemos um clima mais favorável para a avaliação de desempenho assim como também para monitorização da produtividade. É criado uma rotina em que manter uma linha aberta de comunicação com toda a organização faz parte do próximo normal ou “next normal”.

5. Talento adaptado à mudança

Esta situação pós-COVID-19 e a capacidade da equipa em se adaptar de forma natural e eficaz traduzem-se num novo indicador. É um aspeto a ser levado em consideração em futuras avaliações de desempenho. Ter a capacidade de lidar com uma situação adversa é essencial. Adaptar-se e responder efetivamente ao contexto adverso aos nossos hábitos de trabalho traduz-se numa aptidão que deve ser considerada, tanto na monitorização do desempenho quanto nos futuros processos de seleção de talentos.