Blog de Finanças | 2 Março 2020

Benchmarking, o km 0 do desempenho financeiro

Benchmarking, o km 0 do desempenho financeiro

A gestão moderna requer que todos los gestores e executivos tenham a capacidade de lidar com processos estratégicos contínuos, isso significa que nenhum destes processos termina, já que formam parte de um caminho de melhoria e avanço contínuo. Um destes processos é o benchmarking. É aplicável a muitos âmbitos empresariais e organizacionais, entre os quais, aos departamentos financeiros das empresas. Existem também vários tipos de benchmarking. Explicaremos ao longo desta publicação, qual a sua aplicação no mundo financeiro e porque é interessante que o tenhamos em conta, se utilizamos um software inteligente de gestão financeira.

O benchmarking obriga a “pensar fora da caixa”, tanto por parte da empresa como dos seus respectivos departamentos. A través desta ação, centra-se a atenção em determinados processos, indicadores e elementos chave, como produtos ou serviços relevantes existentes no mercado. O objetivo é criar referências, quantificar, comparar, de forma a avaliar o nosso próprio desempenho. Também é válido para avaliar objetivos e oportunidades para uma empresa, no caso desta querer ocupar uma posição relevante no mercado.

Como se integra no plano financeiro

Se queremos que a nossa gestão financeira seja eficiente e, ainda, valorize o nosso trabalho, é essencial monitorizar o rendimento. Por isso, é muito importante contar com dois pilares essenciais: um plano financeiro bem elaborado e um software de gestão que permita extrair do mesmo a máxima informação e rendimento.

Uma ferramenta como esta, necessita trabalhar com dados. Para medir o rendimento de um departamento financeiro temos que estabelecer indicadores e referências. Através do estabelecimento de KPIs quantificáveis, poderemos comprovar se realmente o desempenho financeiro é o apropriado. Também se se estão a seguir as linhas estratégicas através das quais o plano financeiro melhora a competitividade da empresa ou organização.

A gestão financeira através de medição de KPI’s

Que indicadores devemos estabelecer? Como é óbvio, dependerá em grande medida da empresa em particular, da sua situação e das características do mercado. Não obstante, há alguns indicadores chave de rendimento – KPIs – que são habitualmente válidos e transversais a todos casos.

O KPI mais conhecido na gestão financeira, será provavelmente o do retorno do investimento, ou ROI. Mede os ingressos resultantes de um determinado investimento e a sua relação com os custos associados. Mas o ROI não é a única referência que podemos establecer na medição do desempenho financeiro. Também podemos pensar na conversão em liquidez, na rentabilidade sobre o capital investido, nas margens de lucro – brutas ou líquidas – ou no crescimento sustentável, medindo o aumento dos ativos e as vendas em função do aumento da procura. A lista é extensa e o KPI a escolher numa determinada situação dependerá muito das características particulares de cada caso.

Fases do benchmarking na gestão financeira

Para aproveitar ao máximo o benchmarking financeiro é essencial ter um “plano de ação” claro. O mais aconselhável é ser metódico no seguimento de uma ordem, na hora de avaliar o rendimento financeiro com esta prática.

Em primeiro lugar devemos planificar a investigação a realizar, o que queremos medir e quantificar, porquê e como o vamos fazer. Em seguida, temos a captação de dados, para conseguirmos esse objetivo de medição. Se a gestão financeira for monitorizada por um software de gestão especializado, esta tarefa será mais fácil e ajustada à realidade, pois trabalha normalmente com dados em tempo real.  Quando tenhamos os dados necessários, devemos analisá-los para verificar que diferença existe entre o desempenho real e a previsão estabelecida anteriormente no nosso plano financeiro. Conhecendo o que está a acontecer ao nosso redor, poderemos mais facilmente atuar e definir ações concretas que sirvam para melhorar os resultados financeiros.

 

Siga-nos no LinkedIn