Blog RH | 3 Julho 2020

Como enfrentar a digitalização na gestão de RH no pós-COVID-19

Como enfrentar a digitalização na gestão de RH no pós-COVID-19

A situação pós-COVID-19 alterou as regras do jogo por completo. O ‘next normal’ estabelece um novo cenário para as empresas de forma transversal. E a gestão de RH também tem que se adaptar a estas novas regras. Um contexto em que a transformação digital exercerá um protagonismo preponderante.

Digitalização no ‘next normal’: as empresas vão investir mais

Digitalização de processos, novos fluxos e trabalho remoto. O ‘next normal’ gerado pela situação pós-COVID-19 está a deixar bem claro que a imersão na digitalização não pode esperar mais. Tudo indica que a transformação digital está diretamente alinhada com a sobrevivência empresarial num cenário repleto de incertezas, mas também de oportunidades.

Se bem que é verdade que os processos de digitalização tem sido historicamente associados a empresas multinacionais e de grande tamanho, a transformação digital, e mais agora, é especialmente importante para uma alta percentagem das grandes e médias empresas que até agora não tinham pensado dar o salto para a área digital. Algo que se irá modificando de forma muito importante no mundo pós-COVID-19. Segundo o barómetro empresarial elaborado pela Deloitte, o investimento das empresas na área da transformação digital e na cibersegurança poderá sofrer um incremento de até 55%.

Gestão de RH digitalizada e eficiente

O ‘next normal’ é portanto, uma oportunidade única para explorar as vantagens da digitalização em departamentos estratégicos chave, como proposta de valor. É necessário uma gestão de recursos humanos pós-COVID-19 adaptada às novas exigências, utilizando todo o potencial que a tecnologia oferece aos seus responsáveis para alcançar maiores cotas de eficiência e produtividade. E para descobrir parcelas de trabalho digitalizado que, até agora só se vislumbravam.

Nesse sentido, dispor de um roadmap claro será chave, tendo em conta tanto a dimensão da empresa como o grau de sensibilização e capacitação tecnológica dos diretores encarregados da gestão de pessoas. A eficiência na gestão de RH, com soluções apropriadas, e o desenvolvimento de novas políticas de monitorização, captação, desenvolvimento de tarefas e medição do desempenho podem dar um salto gigante, graças à digitalização.

Mais, segundo o relatório ‘Flexibility at work’, elaborado pela Randstad Research, 30% dos postos de trabalho nas empresas dos países da OCDE vão sofrer importantes modificações no “next normal”. E um de cada sete postos de trabalho desaparecerão, ao reduzir-se drasticamente os fluxos de trabalho, com a presença como componente principal.

Os responsáveis pela gestão de RH devem estar preparados e formados

De tudo o anterior, deduzimos que é o momento de acções, mais que de palavras ou posicionamentos estratégicos. Por isso cada diretor de RH deve estar pronto para adotar um papel proactivo nesta importante alteração de paradigma. O departamento de gestão de pessoas vai converter-se num impulsionador do processo de digitalização. Para o qual será necessário receber formação específica, mergulhando num amplo leque de oportunidades, ferramentas e softwares de gestão que estão disponíveis atualmente. Isto permitirá um posicionamento sólido na era pós-COVID-19.

 

Siga-nos no LinkedIn