Blog RH | 3 Abril 2020

O confinamento traz consigo o teletrabalho

O confinamento traz consigo o teletrabalho

O teletrabalho é percebido como uma verdadeira revolução por grande parte dos colaboradores. Quase 17% deles trabalham exclusivamente remotamente e dizem que preferem trabalhar dessa maneira. No entanto, neste período de crise sem precedentes, o início do teletrabalho foi acelerado em muitas empresas e esse percentual já não é representativo. Há quatro etapas a serem seguidas para otimizar esta nova maneira de trabalhar, que pode ser útil.

Gestão à distância

Não é fácil para uma empresa gerir os seus colaboradores de forma remota. A dificuldade está em manter todas as pessoas no mesmo nível de produtividade e motivadas num contexto diferente. No entanto, o teletrabalho como rotina pode “funcionar”. É importante manter contato em tempo real com as equipas. Além disso, com as ferramentas digitais, é fácil poder continuar com as reuniões para verificar o progresso de diferentes projetos.

É possível trabalhar a partir de casa?

Nem todos podem trabalhar remotamente: alguns cargos, por exemplo, exigem presença física (funcionários do hospital, receção, supervisão, etc…).

No entanto, com todas as possibilidades que a tecnologia oferece, há muitas funções que podem ser executadas independentemente da localização física. Um colaborador que trabalha por conta própria diariamente pode manter a produtividade constante à distância. Neste período de confinamento, é imprescindível identificar o talento que pode trabalhar remotamente. A partir daqui, devemos rever as ferramentas e a relação de confiança entre o gestor e o colaborador.

Ferramentas a implementar

Comunicar, trocar dados ou partilhar informações nunca foi tão fácil. Existem ferramentas e aplicações de comunicação muito diversas (Monday, Asana, Zoom) e algumas são gratuitas. Além disso, atualmente qualquer ferramenta no modo SaaS facilita qualquer utilização, podendo executar todos os procedimentos on-line e em tempos e custos reduzidos.

Também é o momento de definir os objetivos de todos durante este período. O objetivo é garantir que cada membro possa trabalhar remotamente em total autonomia. Estar isolado do resto da equipa não significa ficar à margem. Neste período de crise de COVID-19, a coesão e a proximidade com os membros da equipa são cruciais para acompanhar o ritmo da empresa. A comunicação em videoconferência para briefings, reuniões ou simplesmente para se incentivarem mutuamente podem ser diárias. A distância não deve interromper a sua relação de trabalho.

A confiança é chave

Isto é provavelmente o mais importante. É essencial confiar na sua equipa para que p teletrabalho seja uma prática efectiva. Policiar os colaboradores não é a solução; na verdade, pode até adicionar níveis de stresse como ingrediente extra, e a eficiência ser reduzida. Dar a todos tempo para se adaptarem ao novo paradigma é a chave do sucesso. Ouvir, diplomacia e compreensão são essenciais.

#EuTrabalhoEmCasa

Além de ser uma medida que veio para ficar, o teletrabalho torna-nos pessoas e empresas responsáveis ​​na situação atual. Trabalhar em casa permite-nos manter a atividade da nossa empresa, ao mesmo tempo em que colaboramos com a sociedade para desacelerar o avanço do Covid-19.

 

Siga-nos no LinkedIn