Blog de Finanças | 16 Setembro 2020

Relatórios financeiros: declarações consolidadas em formato XBRL

formato XBRL

Os relatórios financeiros das empresas que integram os mercados europeus devem cumprir uma nova obrigação no encerramento financeiro dos exercícios iniciados antes ou após o dia 1 de janeiro de 2020. Consiste na adoção da taxonomia do ESEF (European Single Electronic Format) para a publicação do relatório financeiro anual elaborado de acordo com o NIIF-UE.

O ESEF é introduzido em aplicação da Diretiva 2013/50/UE, que atualiza a diretiva de transparência de 2004. O objetivo é estabelecer um formato eletrónico único e estruturado para os relatórios financeiros da UE.

Este regulamento tem como objetivo facilitar a preparação dos relatórios financeiros, assim como, a acessibilidade, análise e relação dos relatórios financeiros anuais.

Demonstrações financeiras consolidadas no formato XBRL

O primeiro requisito a ter em conta é que os relatórios financeiros anuais sejam preparados integralmente no formato XHTML (Extensible Hypertext Markup Language). Este formato pode ser analisado por pessoas em qualquer navegador Web. O relatório anual elaborado neste formato consiste num único arquivo que engloba:

  • As contas anuais.
  • O relatório da gestão.
  • As declarações das responsabilidades dos membros do conselho de administração.

Além disso, quando os relatórios financeiros anuais incluem demonstrações financeiras consolidadas de acordo com as NIIF, estas devem ser marcadas ou identificadas com rótulos XBRL (eXtensible Business Reporting language). XBRL é um formato digital padronizado que tem como objetivo que as máquinas possam ler as informações. Estas etiquetas integram-se no documento XHTML utilizando tecnologia iXBRL (inline XBRL).

Esta rotulagem pode ser efetuada de forma voluntária para as demonstrações financeiras individuais (NIIF o GAAP nacional) das empresas que não realizam consolidação financeira. Por exemplo se pretenderem facilitar a disponibilidade e acessibilidade aos seus dados financeiros. Desde que a taxonomia iXBRL exista no estado-membro.

Nesta primeira fase (2020) as demonstrações financeiras principais e consolidadas serão preparadas em XHTML de acordo com as NIIF das empresas. Isto significa, que a demonstração da posição financeira do resultado e outros abrangentes, a demonstração das mutações, do património líquido e a demonstração dos fluxos de caixa. Posteriormente em (2022), os registos no bloco de notas deverão ser convertidos em XHTML. A marcação pormenorizada será voluntária.

Finalmente a taxonomia a ser utilizada para rotulagem é a da ESEF. Está detalhado no Regulamento Europeu 2019/815 e desenvolvido pela ESMA (European Securities and Market Authority).

Vantagens de elaborar relatórios financeiros de acordo com a ESEF

O ESEF facilita ao diretor financeiro e ao diretor de contabilidade a utilização das informações financeiras. Em particular, aguarda-se uma utilização melhorada e mais abrangente dos dados da empresa por investidores e analistas ao usar as especificações online (iXBRL). Assim desta forma, irá aumentar a transparência dos mercados capitais da UE.

A verdade é que numa era digital é de extrema importância eliminar a entrada manual de dados, mais lenta nesse processo. Cumprir os requisitos do ESEF significa automatizar tarefas. Isto oferece benefícios para empresas e investidores, analistas e reguladores. Sendo estes os principais:

  • Padronização e maior transparência nas informações financeiras;
  • Redução de erros nos dados apresentados;
  • Facilidade de análise de informações;
  • Relatórios com informações estruturadas, agilidade no processamento de dados. A análise das demonstrações financeiras e informações podem ser elaboradas de forma mais rápida.

Principais requisitos do ESEF para o relatório financeiro

As empresas vinculadas a este regulamento enfrentam o desafio de implementar os requisitos do novo sistema de relatórios financeiros. Devem garantir ainda que as informações apresentadas ao regulador são de qualidade adequada para os seus stakeholders.

Por esse motivo, o encerramento financeiro, teve que ser planeado com antecedência para:

  • Estabelecer o processo a ser implementado para cumprir os novos requisitos de relatórios financeiros;
  • Realizar a análise das demonstrações financeiras e relatórios. Identificar cada um dos itens nas demonstrações financeiras e elementos do relatório com o conceito funcional equivalente da taxonomia e memória. Identifique cada um dos itens nas demonstrações financeiras e elementos do relatório com o conceito funcional equivalente da taxonomia ESEF (baseada no IFRS-UE).
  • Estender a taxonomia no caso de ter de criar novos elementos não contemplados na taxonomia e IFRS-EU.
  • Construir o modelo dimensional hierárquico dos elementos da taxonomia com base na estrutura das demonstrações financeiras.
  • Executar o processo de rotulagem entre os conceitos das demonstrações financeiras consolidadas e os elementos equivalentes da taxonomia.
  • Executar as validações técnicas requeridas pela ESMA e o standard técnico XBRL e revisão funcional da instância.
  • Supervisionar a correta implementação do ESEF e sua revisão dentro do alcance do trabalho do auditor de contas

Também a CMVM mantém a supervisão do relatório financeiro anual. Esta contempla a revisão dos critérios de apresentação, reconhecimento, medição e colaboradores nos estados financeiros. Além dos cumprimentos dos requisitos do ESEF.

Estados financeiros consolidados no formato XBRL com Talentia Consolidation & Reporting

A CMVM não prevê desenvolver nenhuma ferramenta de software que permita a apresentação do relatório financeiro anual em formato eletrónico europeu.

Portanto, as empresas devem escolher o software a utilizar para criar estes relatórios financeiros em formato XBRL, configurá-los e parametrizá-los. A solução Talentia Consolidation & Reporting permite elaborar os estados financeiros conformes com o PGC e as NIC/NIIF, melhorar a fiabilidade da informação consolidada, diminuir os tempos de encerramento e gerar informação de qualidade para cumprir com as necessidades da empresa.

Talentia XBRL é um módulo que as empresas podem adicionar ao software de gestão financeira “Consolidation & Reporting” que possuam. Permite produzir os relatórios em formato XBRL de forma simples e de acordo com a nova normativa ESEF, com a taxonomia atualizada.

O ESMA propôs que nesta primeira fase apenas fiquem obrigados a apresentar os seus relatórios financeiros neste formato estruturado as entidades cotadas e os emissores de valores de mercado regulado da União Europeia. No entanto, muito provavelmente este formato será obrigatório para mais empresas a curto prazo.

No webinar “XBRL: How to produce your reports and map your accounts” organizado por Ernst and Young, tratamos os pontos chave da adoção destes novos critérios. Foi celebrado dia 9 de julho mas agora damos oportunidade de o ver AQUÍ. São expostos todos os benefícios que oferece o Talentia Consolidation & Reporting e o seu módulo XBRL:

  • Acelerar o processo de consolidação financeira.
  • Assegurar a fiabilidade dos relatórios consolidados
  • Garantir a publicação dos relatórios no formato standard XBRL